Esporte

A mudança e a felicidade.

Ontem postei no instagram e no facebook uma foto e um mini texto sobre minhas mudanças de perspectiva, alimentação e peso. Como algumas amigas comentaram que estão tendo dificuldade para engatar uma reeducação alimentar, achei que valia a pena passar por aqui e escrever um texto mais completinho sobre o que andei passando nesses quase 5 meses, durante os quais o blog nasceu <3 <3 <3
Sou uma menina bem vaidosa e adoro me arrumar. Ultimamente, andava me escondendo. Atrás de camisas mais larguinhas, preto ou um casaquinho na cintura/jaqueta jeans por cima de tudo. Só quem já passou por isso sabe o que é tentar disfarçar peso extra no verão do RJ: não tem casaco/blazer que componha o look, até porque se você usar algo do tipo começa a suar em questão de segundos. E foi numa dessas, incomodada com meu eterno efeito sanfona e cansada de “disfarçar” o indisfarçável, que ao me pesar, levei um susto.
70. Impressionante como quando vira o dígito o bicho pega, né? Quase toda minha vida, meu peso girou em torno dos 55 quilos. Quando cheguei aos 60, as pessoas me elogiaram muito: “ah, que corpo maravilhoso”, “deixou de ser magrela”, “nossa, você deu uma encorpada, agora é que está bom”. E assim fui chegando aos 60, 61, 62… saí do 36 para o 38 e fui embora. Nisso, anos se passaram, e meu peso sempre oscilando. Emagrecia, voltava aos 58, 59… 62… 64… mais alguns anos, mudança no estilo de vida, parando de andar a pé o tempo todo para andar mais de carro… estuda pra concurso, fica com a bunda quadrada o dia todo… não tem tempo pra academia… PÃ. 70.
Sabem aquela frase “and then, it hit me”. Foi isso. 
Com você pode ser diferente. Pode ser a calça que não fecha mais (TANTAS), o vestido recém comprado que deixou de caber (MUITOS), a celulite que começou a proliferar, o exame de sangue que não tá nada bom. Muita coisa pode acontecer pra te dar aquele sacode, mas uma coisa eu te digo com quase certeza: não vai ser lendo em revista dieta do “perca 5 quilos até o verão”que isso vai acontecer.
Eu não fiz uma foto específica do meu antes X depois porque desde que comecei a mudar minha relação com a comida, não imaginei que as mudanças seriam tão violentas: pensei que ia ser uma daquelas que dá uma desinchada, volta a caber nas calças e pronto. Mas nada nessa vida acontece por acaso e eu consegui encontrar uma foto de 01/01/2014 (com o mesmo vestido que usei recentemente). Até eu me surpreendi:


Nesse dia, esse vestido entalou na hora de sair. Isso foi dia 01/01, e eu tive medo de começar mal o ano já rasgando um vestido caro. Senti raiva de mim mesma, achei que ia ter que cortar, comecei a suar com o esforço… um drama. Pensei que ia sentir mais vergonha de escrever sobre isso, mas estou aqui considerando um exercício de desapego da minha auto imagem, e espero que quem se identificou com a situação possa rir de si mesma e abraçar a necessidade da mudança.   

A primeira foto é do dia 01/01/2014. Estava matriculada na academia há 2 semanas e fazia apenas 2/3 exercícios aeróbicos semanais. A segunda é de Março, e sei meu peso aproximado porque tive consulta com minha dermato, Dra. Kenia Lara e meu tratamento com o Roacutan teve que ser recalculado por causa da redução de peso.

Tudo começou com um amigo (namorado de uma amiga) que vivia enchendo o saco das meninas do meu grupinho – inclusive da própria namorada – pra gente se mexer, parar de comer pão de queijo e “misto light” no intervalo de nossas aulas (obrigada, Dudu!). 

Papo vai, papo vem, eu e as meninas (todas concurseiras) criamos um grupinho no whatsapp chamado #projetopanicat, com uma foto bem exagerada e declaramos que aquele seria nosso perfil de incentivo, confissões e dicas de comidinhas e exercícios. Pra mim, isso foi fundamental no início, dar esse start com gente te motivando e vice-versa. 
É bom lembrar que a tua mudança não vai ser pelos outros. Não é namorado, amiga, mãe, dieta da moda… todas essas coisas podem ajudar, mas a motivação é só tua. Escute o que os amigos têm pra te falar (por uma questão de educação) e foque no TEU plano, feito por um profissional que levou em consideração os teus exames de sangue, necessidades, rotina e composição física. 
Entrei na academia, fechei um pouco a boca e procurei ajuda especializada, no dia 28/02 – véspera de Carnaval. No dia seguinte, minha família fez uma feijoada e eu me segurei BEM: comi somente o que poderia comer mesmo e me tranquei no quarto pra estudar e não sentir o cheiro do torresmo. 
Se você não acreditar no processo e não confiar no profissional, é melhor nem ir à consulta ou começar a reeducação. Digo isso porque escutei de 3 pessoas diferentes: “mas você não está tomando nada?”. Nessas horas, finjo que não entendi a pergunta e respondo que sim, estou tomando suco verde todos os dias. Não dá pra acreditar que ainda tem gente tomando remédio pra emagrecer… pô, gente, FALA SÉRIO!!!

Hoje, 14/04/2014, estou com 61 quilos. Então: desde o finzinho de dezembro/2013 a abril/2013 (4 meses e meio), foram embora 9 quilos. Vocês conseguem se imaginar carregando diariamente, pra cima e pra baixo, uma mochila de 9 quilos? Cansa, gente. Pois então, é isso que a gente faz com o próprio corpo quando passeia pelo sobrepeso/obesidade. Fora os sintomas, e todas as explicações lindas que minha nutri (Raíssa Fernandes) me deu.



Além desse cansaço, eu tinha vários outros sintomas muito ruins – que eu nunca tinha associado à má alimentação – além de uma retenção de líquido monstra, que só piorava na TPM e me deixava querendo matar meio mundo. Dor nas juntas, alergia, coriza, dor de cabeça (todo. santo. dia.)… em 40 dias, esses sintomas foram praticamente todos eliminados com a dieta (já falei sobre ela aqui).  É muita, muita felicidade. A vida se transforma de um jeito incrível, te sobre energia pra fazer tudo o que você quer.

Cheguei ao consultório com 66 quilos, falei sobre a dieta aqui no blog dia 03/03 e na metade de março já estava com 64. Segui firme e forte, viajei 2 fins de semana inteiros na base da pressão (pra fazer prova em outro estado) e levei minha malinha com comida: fruta, pão de chia, nozes… tudo pra tentar não sair da linha. É difícil pra caramba, mas encarar a dieta viajando com uma lancheira do lado me fez ter bem menos paciência com quem diz que não consegue preparar um sanduíche ou embrulhar uma fruta pra não comer besteira durante o dia.

Não dá pra confundir “não consigo” com “NÃO QUERO” ou “TENHO PREGUIÇA”, então por favor: pare de se enganar. O auto engano é uma das armas mais perigosas que temos contra nós mesmos, não queira usar em você!
É claro que você pensa em desistir, comer a barra de chocolates, matar o spinning, sabotar o esquema de refeições que você deixou organizado. Não faça isso. Ou faça, sabendo que as consequências chegam. Se a gente estiver ok com elas, beleza. Se não estiver, não dá pra ficar com raiva e colocar a culpa em mais ninguém, né?

Meu acompanhamento físico foi feito com um profissional maravilhoso aqui do RJ. Com a mudança, infelizmente vou ter que me despedir dele, que me incentivou TANTO e me deu todas as melhores dicas e orientações para alcançar esse resultado tão legal. Tá aí outra coisa importante: joga no lixo o teu preconceito com academia e gatinhas saradas e etc. Óbvio que tem gente que vai pra fazer social, mas tem muita gente que encara aquele lugar como um ponto de equilíbrio, pra cuidar do corpo de verdade… faço aqui um mea culpa, passei a valorizar muitíssimo quem vive pra ajudar os outros a, muitas vezes, recuperarem a própria auto estima! Parabéns, profissionais da Educação Física! <3

O blog foi essencial nessa empreitada: penso mil vezes antes de postar alguma receita, procuro sabores diferentes (até para eu não enjoar) e adoro uma novidade. Além das mensagens fofas com elogios, sugestões e receitas que recebo, vocês têm deixado receitas maravilhosas nos comentários. É como eu chamo: afago virtual. Muito, muito obrigada pelo apoio! Foram mudanças que só me trouxeram felicidade, e isso definitivamente não tem preço. Queria também deixar uma mensagem que tem sido meu lema:

Você também irá gostar de ler:

25 Comentários

  • Reply
    Paula Raya
    14/04/2014 at 1:33 pm

    Oi Manu 🙂
    Seu bom dia foi um pé na bunda de qualquer preguiça que tente se instalar neste dia cinzento de Campinas rsrsrrsrs
    Assim como você, também perdi bastante peso… foram 10 kg desde Setembro de 2013. Minha última consulta, tinha eliminado 1,5 kg…
    sem contar a minha cintura (lipoaspiração natural)…
    Mas tô carecendo de “algo a mais”,sabe?! Daqui duas consultas terei alta com a Nutri… e gostei muito de me alimentar melhor… mas ter ao meu alcance uma dieta funcional, me deixou até emocionada rs

    Uma dúvida muito grande: já tinha feito um exame de bioimpedância com a nutri… mas você fez esse exame laboratorial? é mais detalhado?
    Bjoks

  • Reply
    Thais
    14/04/2014 at 1:45 pm

    Obrigada pelo post! Como profissional de Educação Física, fiquei feliz e orgulhosa com teu reconhecimento.
    Hoje, não se deveria falar em dieta somente, tampouco somente reeducação alimentar. É antes de tudo a reeducação de hábitos e o repensar do que se consome (e do que se gasta) que vai determinar a mudança verdadeira, os benefícios virão numa sequência. O mais importante de tudo: resgatar o gostar de si mesma, de se cuidar, olhar para o que come, dar atenção à necessidade de movimento que nosso corpo pede. E de descanso também, mas não um descanso jogado, aquele relax gostoso que pode e deve incluir algum cuidado corporal, massagem, óleo perfumado, ficar de molho numa banheira… são pequenos prazeres de te reconectam contigo mesma e te fortalecem para seguir em frente.
    Esta é a grande certeza de estar no caminho certo. Parabéns!

    • Reply
      Paula Raya
      14/04/2014 at 2:16 pm

      Você sempre com comentários pertinentes, Thais… Assim como a Manu, também me sinto motivada pelo carinho do blog… é uma sinergia tão boa,não!?

    • Reply
      Thais
      14/04/2014 at 4:50 pm

      Sim Paula, vejo aí o lado positivo das midias sociais: compartilhamento saudável e motivação positiva. Ajudamos uns aos outros e passamos para frente boas experiências, conhecemos novas pessoas. Um abraço!

    • Reply
      Manu
      14/04/2014 at 9:10 pm

      Oi Thais, nem sabia que você é profissional da área!
      Foi de coração mesmo. Daqui a um tempo vou fazer um post falando sobre minha “rotina” de exercicios (cada um se vira como pode, rs)! Obrigada pelo carinho!

    • Reply
      Manu
      14/04/2014 at 9:10 pm

      Estou amando essa troca com vocês!!!
      <3

  • Reply
    Paula Raya
    14/04/2014 at 5:33 pm

    Enfim, Thais… como educadora física, poderia responder a pergunta que fiz á Manu?
    Uma dúvida muito grande: já tinha feito um exame de bioimpedância com a nutri… mas você fez esse exame laboratorial? é mais detalhado?
    Abraço 🙂

  • Reply
    Paulinha
    14/04/2014 at 9:02 pm

    Adorei seu post!
    Eu sou “magra” 60 kg e 1,75 de altura.
    Mas de uns tempos pra cá uma bobeada e eu já subo um pouquinho de peso. Sou sedentária e me alimento +-
    +- pq não tomamos refrigerante de dia de semana, não faço frituras e só faço arroz integral.
    Tem salada td dia e tbm não uso temperos prontos. Almoço e janta é ok, mas no café da tarde eu não consigo me desgrudar do pão com manteiga! kkk
    Eu sei que é culpa minha, sei que semana retrasada comia meio pão com manteiga e um potinho de frutas e vi que deu uma “desinchada” na barriga e coxas e mesmo assim voltei a dar uma relaxada.
    O meu ponto fraco é esse e as cervejas de final de semana e o meu filho de 10 anos doido por doces…
    Enfim, estou chegando nos 28 anos e sei que o metabolismo muda depois disso e que a boa vontade tem q partir de mim e sei que a tendência é só piorar com o passar do tempo.
    Fiz o sorvetinho de banana e amamos, tem um montão congelada no freezer!!!! E assim vou tentando me adaptar.
    Não sabia que era sua vizinha, sou de Americana!
    Beijos

    • Reply
      Manu
      14/04/2014 at 9:14 pm

      Oi Paulinha!
      Com 28 o metabolismo dá aquela desacelerada “natural”, mas tô correndo por conta dos prejuízos, rs!
      Acho que a mesa do brasileiro tem andado muito “gorda”, com tantas opções de sucos industrializados lotados de açúcar, refrigerantes, congelados para serem fritos, e poucos legumes, frutas e verduras. Acho que só de darmos uma chance pra comida fresca, preparada por nós, já dá pra sentir os benefícios. Eu senti, e muito!
      Eu sou do RJ, tua vizinha é a Paula, rs!
      Continue no caminho <3 <3 <3
      Bjs!

    • Reply
      Paula Raya
      15/04/2014 at 11:27 am

      Oi Paulinha…
      Olha, sem jabá… Fiz ontem duas receitas da Manu… o pão de chia e o Quinoa burguer… levei uma hora e vinte minutos para descascar, preparar tudo e arrumar a cozinha.
      Que tal fazer uma cozinha experimental com o seu filho?
      Foi assim que eu tive o meu primeiro contato com legumes, frutas, verduras… Minha mãe é vegetariana e trabalhou muito o lúdico nos alimentos… “olha a rodinha, que legal!!!” (eram quiabos)… Hoje, com 29 anos, não torço o nariz para comida, experimento o que não conheço e amo inovar sabores…
      Não vou dizer que fui sempre correta na alimentação (até pq, venho de um processo de emagrecimento. Ao todo foram 9kg). Mas sem sombra de dúvidas, esse contato me favoreceu na mudança de hábitos…

      😀 Vamos nos comunicando
      Manu… (também tô amando essa troca)

      Bjoks a todos

    • Reply
      Paula Raya
      15/04/2014 at 11:28 am

      Este comentário foi removido pelo autor.

    • Reply
      Manu
      16/04/2014 at 12:35 am

      Paula, gostou do hamburguer?
      Eu AMO ele com uma saladona, tenho vários congelados pra hora do “aperto”, assim que chego da academia, rs.
      Bjs

    • Reply
      Paula Raya
      16/04/2014 at 11:30 am

      Nossa Manu, como você diz, é deli rsrsrrsrs… Quando eu fiz, esqueci de tirar bem a água e a massa ficou muito mole… aí, a minha amiga (que é chef de cozinha), aconselhou a colocar alguma farinha pra dar “liga”… acabei colocando um pouco da farinha de rosca. Ele acabou ficando com gluten. Mas ainda assim, muito saudável 🙂
      O pãozinho de chia foi surpreendente… eu achei que ele era bom, mas é maravilhoso!
      Tenho algumas receitas… suflê de couve-flor, quiche de brócolis… feijoada vegetariana 🙂 Se quiser, tamos aí
      Bjos

  • Reply
    Thais
    15/04/2014 at 12:10 pm

    Oi Manu, Paula
    concordo que não só a mesa do brasileiro mas tbm a mente anda muito gorda. Hoje em dia as pessoas não se questionam sobre o que comem e a indústria alimentícia despeja produtos alimentícios (não alimentos) lotados de corantes, acidificantes, conservantes e trocentos antes, que são consumidos indiscriminadamente. Saibam que mesmo a ANVISA faz vista grossa comparado aos padrões de exigência da União Europeia e a FDA, por exemplo. Aqui no Brasil muitas substâncias são permitidas e liberadas por conta da pressão que as multinacionais exercem num país de terceiro mundo. A cultura tbm conta: não adianta somente ler os rótulos do que se compra, tem que saber o que está consumindo, o que deve ser evitado. Informações sobre transgênicos, produtos proibidos em outros países (inclusive remédios).. tudo isso não se trata apenas de emagrecimento, mas de qualidade de vida, saúde é o nosso bem mais precioso. Vejo vocês, bem mais novas que eu, falando sobre desaceleração do metabolismo, mas saibam que o excesso de produtos que contenham SOJA (é, aquela mesma alardeada como coisa saudável) funciona como um fitoestrógeno, ou seja, nosso corpo a reconhece como hormônio e quando isso acontece, vira uma bagunça. Vocês fazem ideia da quantidade de corantes, conservantes, açucar, adoçante artificial (outro veneno metabólico) e sabor artificial são injetados para disfarçar o sabor horrível da soja? Sabiam que a soja é transgênica e depois de vários ciclos de plantação torna nosso solo infértil? Se é ruim para a terra (natureza) certamente não é bom para nós.
    Não sigo dietas de moda, identifico-me muito com a dieta mediterrânea e gosto de consumir produtos da estação, orgânicos e locais. Não conto calorias, não me peso, me observo, me conheço. Sobre a pergunta da Paula sobre a bioimpedância, na minha opinião, são somente números (uma corrente elétrica que passa por todo o seu corpo e pode diferenciar o peso magro do peso total em gordura pura) lembrando que a gordura total do organismo não é apenas a subcutânea, a que nos incomoda estéticamente, mas temos gordura entre os órgãos tbm. A gordura tem sua utilidade dentro do nosso corpo, como tudo o que temos. O problema é quando há um desequilíbrio, e não o percebemos e continuamos alimentando-o.
    Meninas, acho que vcs estão no caminho certo: cuidando da alimentação, exercitando-se, trocando ideias e isso tudo é importante. Mas lembrem-se também de assumir uma postura questionadora diante das “novidades” que aparecem no mercado e na moda. Na maioria das vezes por trás delas existe alguém lucrando com isso.
    Manu, desculpe-me a “alugação” dos comentários, espero que não tenha sido deselegante, apenas quis compartilhar um pouco de experiência. Afinal, há quase quatro décadas andando neste mundo, acho que conheço alguma coisa…
    Beijos meninas e cuidem-se com carinho, sempre!

  • Reply
    Paula Raya
    15/04/2014 at 12:19 pm

    Poxa, Thais!!!!
    Eu nunca imaginei da soja… realmente foi de muita utilidade. E muito obrigada pelas dicas do exame 😉
    Ps: eu também faço uma miscelânia de comentários. Mas ora, estamos nutrindo o nosso conhecimento também 😀

  • Reply
    Paula Raya
    15/04/2014 at 5:26 pm

    Não posso deixar passar em branco essa: amei o seu comentário sobre você no blog, Manu…:)

  • Reply
    Manu
    16/04/2014 at 12:37 am

    Thais, não está sendo deselegante, estou adorando essa troca com vocês. =)
    Eu tenho um pé bem atrás com a soja, porque quando criança fui diagnosticada como alérgica, pretendo refazer esse exame para saber se posso ou não consumir!
    Concordo com tua opinião sobre a bioimpedância, acho que o mais importante são os números dos exames de sangue e os nossos sintomas, no dia a dia (além do conforto no próprio corpo)!
    Bjos!

  • Reply
    Anonymous
    24/04/2014 at 7:23 pm

    Manu,

    Será que vc poderia me passar o contato da sua nutricionista? bjs, seu blog é ótimo!!!
    mariana_hygino@yahoo.com.br

    Mariana

  • Reply
    Cristina
    30/09/2014 at 6:22 pm

    Adorei o post! A gente sò se dà conta que nao é tao difícil assim quando realmente levanta e faz. E o gostinho de conquista realmente nao tem preço!
    Força por ai e parabéns pelo foco! 😉 Beijos!

  • Reply
    Um ano de Cozinho, logo existo! | Cozinho, logo Existo
    11/02/2015 at 5:28 pm

    […] me cabia. Tive que fazer uma mala com meus vestidos preferidos, pois nenhum passava no quadril. Cheguei a entalar em um, lembram? Estava no sobrepeso, irritada, estressada e mau humorada. Só bolo, brigadeiro ou batata-frita me […]

  • Reply
    Yamily
    25/02/2015 at 3:52 pm

    Oi Manu, vim lhe fazer uma visitinha depois de ver o seu relato no site Vila Mulher, eu também sai lá, amei ler a sua história e seu blog, suas fotos, tudo aqui é tão lindo e prazeiroso de ler. Amei descobrir você, um abração e se quiser fazer uma visitinha, fique a vontade. Bjs!

    • Reply
      Manu Alves
      25/02/2015 at 7:04 pm

      Yamily,
      Muito prazer e obrigada pela visita.
      Poxa, fiquei super feliz com seu comentário, de verdade! <3
      Vou te visitar, com certeza!
      Bjos!!!

  • Reply
    Luana
    12/01/2016 at 12:41 pm

    Oi Manu, conheci o seu blog através do tem no meu quintal. A sua trajetória me abriu os olhos, porque sou a rainha do efeito sanfona, meu peso esta sempre oscilando e isso é bem desconfortável em vários sentidos. Vou acompanhar suas receitas e dicas a partir de hoje e tentar mudar! bjss

  • Deixe um comentário