Publicado em 23 comentários

Glúten, Lactose, Dietas e outras neuras.


Desde que dei início às mudanças na minha relação com a comida, uma pergunta recorrente na minha vida tem sido a seguinte: “Ah, você também está fazendo a dieta do glúten e da lactose? Dizem que é ótima”.

Não, gente. Não faço a “dieta do glúten e da lactose”…

Procurei uma nutricionista, fiz inúmeros exames de sangue, avaliei taxas e apurei intolerâncias alimentares para poder entender o que me fazia mal, bem, porque eu apresentava alguns sintomas ao ingerir determinados alimentos e a partir daí elaborar um cardápio personalizado para o meu corpo.

Isso, meus amigos, se chama querer entender o seu corpo. 

Aliás, desde quando simplesmente cortar glúten e lactose passou a ser enquadrado como dieta?

Em primeiro lugar: não arranje sarna pra se coçar.

Se você não exagera, não tem desconforto físico ou dificuldade na absorção de nutrientes causada pela ingestão de glúten ou lactose, ao menos em uma primeira análise, não há porque eliminar. O cardápio de quem tem essa restrição tem que ser planejado e bem organizado.

aprender a se organizar pra comer direito é uma coisa que pode ser bem chata de se fazer (no início) e sim, dá trabalho (não vou mentir). Você gosta de ter trabalho à toa? Pois é.

Mas tudo bem. Ainda assim, você está convencido(a) de que isso vai te fazer emagrecer, e que retirar glúten/lactose da tua alimentação vai dar zero trabalho, “porque as lojinhas de “produtos naturais” estão repletas de novidades ZERO GLÚTEN e ZERO LACTOSE”.

Isso me leva ao segundo ponto: a indústria.

Nossa velha conhecida está sempre na cola das novas modinhas nutricionais, pronta para inventar “delícias” zero glúten, zero carbo, zero lactose, mas repletas de açúcar, corantes, maltodextrina, emulsificantes, acidulantes, xaropes açucarados, conservantes e etcetera.

E não falo aqui apenas da indústria de alimentos, mas da indústria de terrorismo nutricional que tomou de assalto a nossa vida: se repente, se você não tiver alguém pra te dizer o que comer, em que hora comer, e o quanto comer, você nunca terá o corpo de seus sonhos – e o pior: está condenado a ficar obeeeeeeeso por toda a eternidade.

Por favor, não seja ingênuo. É o seu corpo, a sua vida, a sua saúde de agora e de quando você tiver 80 anos.

Quando foi que o simples ato de retirar glúten/lactose de um pão transformou ele na oitava maravilha nutricional do mundo?

Vejo desavisados se entupindo de alimentos ULTRAPROCESSADOS (mas zero glúten e zero lactose) achando que estão arrasando, comendo super saudável. Vejo receitinhas de nutrichef, fitchef, fit isso, fit aquilo – feitas sem nenhuma técnica e que claramente vão ficar péssimas (MESMO) anunciadas como se fossem a única coisa que você pode comer que não vai te fazer explodir.

Ô gente. Faz isso não.

LEIAM. OS. RÓTULOS.

Ainda no tópico dietas da moda: tive notícias de uma dieta que proíbe frutas e legumes mas libera o queijo, ovo e bacon. AI DE QUEM COMER ESPINAFRES, POIS A DIETA NÃO FUNCIONARÁ.

Não sei mais o que dizer. Aliás, sei sim: PAREM.

Nós somos mais inteligentes do que isso.

Não podemos nos reduzir a meras CALORIAS ou MACRONUTRIENTES (que é a tradicional distinção entre proteínas, gorduras e carboidratos). Nosso corpo é único e extremamente complexo.

Frutas, legumes e verduras são organismos vivos, lotados de micronutrientes e propriedades quase mágicas que podem, SIM, fazer a gente se sentir melhor, aumentar nossa imunidade e até nos curar de diversas enfermidades.

Enquanto não entendermos que nosso corpo merece ser mais bem tratado do que apenas seguir a última dieta da moda, nossa mente vai continuar presa dentro da ditadura da magreza e da anemia de nutrientes, informações e bom senso.

Dá licença? Eu não quero isso pra mim, e tenho certeza que vocês também não. Tenho os leitores mais bacanas do mundo, que me incentivam, alertam, desafiam e ajudam a tocar esse barco. ♥

Esse vai ser o primeiro de uma série de posts em que também vou falar sobre Glúten, Lactose, Intolerâncias, Alergias, reações, sintomas e um ou outro relato mais pessoal.

Como vocês sabem, não sou da área médica, mas uma apaixonada por esse tema: tudo o que for escrito ou compartilhado aqui é resultado de estudo em fontes confiáveis (nada de Dr. Google, pra tratar da nossa saúde vamos ficar com livros e artigos científicos), e sempre vou colocar uma leitura recomendada ao final dos posts.

Quero muito saber a opinião de vocês sobre esses assuntos!

zero gluten zero lactose cozinho logo existo

Publicado em 6 comentários

Bebendo fora: Volta e Paris Bar

Junte amigas que amam viajar, comer e beber bem. Misture tudo e acabe com uma máfia de excessos, risadas, tragos compartilhados e informações relevantíssimas: uma aula de como fazer uma perfeita girls night out! 

Processed with VSCOcam with c4 preset

No ritmo do dia em que os excesoss começaram, meu fígado não duraria até domingo.

Fiquei com sexta à noite, e só.

Sorte do dia: os “Pequenos Bocados” do Volta, início do nosso roteiro.

Cheguei na hora do crime: as meninas tinham acabado de pedir a Coxinha do Volta, que adentra a mesa triunfal, coroando uma cama de catupiry. Dispensei o catupiry e acertei: coxinhas sequinhas, crocantes e bem recheadas.

Os bocados são fartos, gordinhos e muito deliciosos. São coxinhas, bolinhas de queijo com geléia de pimenta, pupunha assado e os ovos mimosos que vocês vêem aí embaixo:

Processed with VSCOcam with a5 preset
um mimo, vai vendo.

Fiquei de olho no Quiabo com esfera de queijo artesanal. Olhei, mas não pedi. Tem nada não: volto no Volta por esse Quiabo.

Também provei o pupunha assado (apenas bom) e dei uma mordida no hambúrguer do Fernando Pavan, que leva maionese de melaço, carne de porco, farofa de orelha tostadinha e couve. Muito saboroso, mas senti falta de crocância.

Escolhi um drink bem especial: Chá das Dez. Chá da Nina, Vodka e Ameixas. di-vi-no.

2015-01-23 19.55.43-2
chazinho proibido para menores

Lendo o menu nostálgico e moderninho do Volta, entendi que lá não é lugar para cerimônias: puxe uma cadeira, sinta-se em casa e seja feliz: charmoso até. ♥

Processed with VSCOcam with s1 preset

Detalhe simpático: enchi a mão de docinhos de amendoim – simpaticamente dispostos em um potinho – quando fui embora. delícia. Volta, pode me mandar uma caixinha deles que eu aceito.

Pausa pra foto com o Pavan e parte das meninas:

volta restaurante fernando pavan cozinho logo existo
amandinha, rapha, eu, pavan, adri, mira.

 


Próxima parada: Paris Bar. Antes, um detalhe: mais álcool, menos fotos. Do Paris, só tenho uma.

Muito bem localizado na Casa Julieta de Serpa, tem um visual lindo demais. Quase todos os drinks têm ~exotismo~, o Alex Mesquita, mixologista da casa, realmente é genial e criativo! Lógico que teve foto com ele:

paris bar alex mesquita cozinho logo existo

Mas vamos falar de drinks. Ao todo foram três drinks: Cobbler X, Old Fashioned e sem nome.

Meu preferido? Cobbler X, que bebi na velocidade da luz. Juntou Vinho do Porto num drink, me conquistou. é pacabá!

Menção honrosa: Old Fashioned, feito com perfeição (sdds Don Draper) e esse drink belíssimo criado na hora pelo Alex:

Processed with VSCOcam with a5 preset

sem nome, sob medida. ♥

Sim, vocês não sabem? Senta no balcão e conversa com o Alex. Explica teu gosto e você corre o risco de sair de lá com um trago pra chamar de teu.


Volta Restaurante

Rua Visconde de Carandaí, 5, Jardim Botânico

Aberto a partir das 12

Ficamos todas órfãs do Volta, mas o Chef Fernando Pavan continua no Rio, no Novotel – Barra da Tijuca.


Paris Bar

Praia do Flamengo, 340, Flamengo

Aberto a partir das 19

Publicado em 10 comentários

Comendo fora: conheça o Complex Esquina 111

O Rio de Janeiro tem tantas opções incríveis de restaurantes que não é esforço nenhum sair do meu circuito de favoritos pra conhecer mais um novo. E assim foi com o Complex Esquina 111, restaurante charmosinho no meio de uma – esquina – em Ipanema.

Fui com duas amigas e resolvemos sentar na calçada mesmo. Apesar do interior ser super charmoso, o dia estava lindo e fresquinho, bem varanda friendly.

O pisco sour piscou pra mim. Mas tínhamos que dirigir, daí pegamos leve e fomos de suco de maracujá com baunilha.

2014-11-01 13.29.01-1

Fresco, delícia e com pintinhas de baunilha por 10 reais. Como não somos milionárias, equilibramos a sede com uma garrafa de água e fomos só “beliscando” o suco. Maravilha.

Chegou a hora de escolher os pratos. Se a sua nutricionista – que é sua amiga – estivesse sentada do seu lado, o que você faria? Pediria uma salada? Um grelhadinho? Não. Avisa pra ela que é sábado, que frango + amendoim é proteína e que você nem leu que o arroz era branco e a baroa, frita. Assim, ó:

2014-11-01 14.00.19-1

Acho que o molho poderia ser um pouquinho mais grosso, mas relevem – é pura frescura da minha parte, não sou a maior fã de ensopadinhos. A pimenta estava caprichada, mas pedi um extra porque gosto de comida assim, ó: “xingando até a mãe”. =)

Aquela geral da mesa:

2014-11-01 14.00.48-1

Além do maravilhoso Frango Thay (com arroz jasmin e os pecaminosos chips de baroa), pedimos Filé de namorado em crosta de castanha de pará, uma imensidão de purê de baroa e legumes grelhados AND Salada de Quinoa com abobrinhas, beringela, cebola roxa, amêndoas e seria light não fosse pelo gigante queijo coalho maravilhosamente grelhado.

Uma das melhores saladas de quinoa que já experimentei, o tempero é incrível, ficamos tentando descobrir qual tempero dava aquela interessância. Ficou pra outro dia.

No próximo, vamos pelos drinks e pela música da #esquinamaravilhosa


Complex Esquina 111

Rua Maria Quitéria, 111, Ipanema

Aberto a partir das 12:00