Esporte/ Lifestyle

Minha primeira corrida

Tudo começou de repente. Eu já tinha pensado em ir em outras corridas, quase me inscrevi em uma mas… deixava pra depois.
“- Ah, dessa vez eu não consigo.”
“- Essas coisas não são pra mim.”
“- Vou jogar dinheiro fora e fazer vergonha.”
“- Porra, além de ter que pagar ainda tem que acordar CEDO pra passar perrengue no Aterro…”
E um belo dia eu olhei aquela tela azulzinha do Circuito Venus 10km e decidi que FODA-SE, aquilo era pra mim sim senhoras. Estava usando um aplicativo de corrida (vou fazer um post sobre JÁ!) que estava quase chegando ao fim – a meta era correr os tais 5 km – e decidi que ia correr aquela ~provinha~.
Me inscrevi na modalidade 5km (A Venus tem a opção de você correr os 5km ou os 10km), fiz questão de dizer que ia no passinho da tartaruga – que é como eu corro – e convidei as amigas. Fiquei mega feliz quando várias disseram que iam também. E treinei…
Acho que escolhi muito bem minha primeira corrida: o Circuito Vênus é exclusivo para mulheres, então o clima já ia ser diferente. Muita fofoca, risada e o direito de ser menina: pra vocês terem uma ideia, no dia da entrega dos kits tinha espaços montados com: manicure, massagens, depilação, penteados, maquiagem, lanchinhos e tal e cousa.
Óbvio que minha falta de paciência me impediu de encarar qualquer fila – estavam todas enormes, mas aproveitei pra encontrar com duas amigas e fofocar um pouquinho. Também aproveitei pra passear no stand da Pink Cheeks e adquirir umas coisinhas (além do Anti Shock, MARAVILHOSO):
Minha semana anterior à corrida foi incrível, em termos de corrida: comecei a correr com uma amiga e descobri o poder da risada e do bom humor durante a atividade física. É energizante, motivador e maravilhoso. Correr sozinho é bom, mas correr junto é muito legal! A Bruna me ajudou muito a conseguir fechar a meta do aplicativo com chave de ouro, e os 35 minutos de sexta-feira foram conquistados com muito suor e força de vontade.
Voltando à Venus… peguei o kit (recheado de comidinhas, mimos e descontos em lojas parceiras), apaixonei na blusinha azul e fui embora. Acordei cedíssimo no dia seguinte – ia sair da Barra em direção ao Aterro e não importa que eu ia correr, tinha que tomar uma senhora ducha pra começar o dia SEM URUCA!
Catei um pão de chia que minha vizinha fez pra mim (parêntesis do amor: você dá a receita e a pessoa faz pra você experimentar. insiram aqui mil coraçõezinhos, por favor), bati no mixer uma gororoba deliciosa (1/3 de banana, 4 morangos, uma mão cheia de rúcula, 2 dedinhos de suco de uva integral e água gelada pra ficar lisinho), botei tudo no carro e fui embora.
Passei pelo que me pareceu ser um motorista totalmente alcoolizado – pois além de estar dirigindo em zig zag, me fechou numa curva muito perigosa e quase bateu em outro carro depois. Pensei muito rápido, acelerei e fiz o que me pareceu ser a única coisa certa a se fazer.
Avistei um finzinho de Lei Seca – já tinham retirado o balão mas ela ainda estava rolando em direção à Linha Amarela e alertei os meninos de que POSSIVELMENTE tinha um motorista alcoolizado vindo alguns carros atrás. Ele poderia ser apenas um motorista muito ruim de roda? SIM. Ele poderia estar alcoolizado e fazer um monte de merda lá na frente? SIM.
Pelo sim, pelo não, acho que a nossa segurança e a nossa vida não têm que ficar em dúvida. Não tem como não lembrar do que aconteceu na USP há duas semanas, em que um maratonista foi morto por um motorista bêbado, que ainda deu ré em outros corredores e feriu outras pessoas. 
Discussões jurídicas à parte, o que eu SEI é que aquela pessoa, naquele carro, quase provocou 2 acidentes graves (e sei lá quantos outros antes): quando você VÊ o negócio acontecendo ali na tua frente, não tem como não apoiar a Lei Seca. Bebeu, fumou, cheirou? Não tem que dirigir e ponto final.
Se pararam o carro, não fiquei pra ver. Acho que Deus está no controle de todas as coisas, mas não custa fazermos a nossa parte. Tenho a CERTEZA de que não prejudiquei aquela pessoa: se ele não bebeu, bastava soprar o bafômetro e seguir o rumo dele. The end.
Passado o susto, engoli o café no caminho e consegui chegar no Aterro às 07:10. A largada era às 07:30, e eu ainda estava sem número de peito, sem chip no tênis e morrendo de vontade de fazer xixi. Encontrei 2 anjos – uma corredora e o marido (que foi pra assistir). Eles me “vestiram”: ela pregou meu número de peito e ele me ensinou como que colocava o chip no tênis. Na fila do banheiro, mais um anjo: uma moça dividindo papel higiênico na fila do banheiro químico. Por mais pessoas assim, viu? Na minha próxima corrida, já posso ajudar. <3 <3 <3
Fui pra largada e me recomendaram ficar mais pro final, já que meu ritmo é mais lento. Não sei se faria isso de novo, pois demorei muuuito pra começar a correr, tive que ficar desviando e com medo de esbarrar num monte de gente durante uns 10 minutos, o que é esquisito. Talvez na próxima eu fique um tiquinho mais pro meio, pra ter que desviar menos. =)
Começou a corrida, começou a brincadeira, dei graças por ter ouvido minha parceira e comprado uma viseira na sexta-feira: foi 29 reais na Adidas e ME SALVOU do sol no domingo.
que. calor. da. porra.
Também me senti sortuda de ter besuntado as coxas com o Redless Coat da Pink Cheeks. Meninas de coxa grossa ou gorda: a gente sabe como incomoda uma coxa roçando na outra. Como corro de sainha e ultimamente estava ficando assada, comprovei que a fórmula funciona. Vou usar na corrida e em dias de muito calor, pra bater perna – andar de vestido no calorão do Rio vai ser a prova de fogo, haha!
Usei o Pink Stick, suei feito uma porca e o protetor ficou intacto. Achei prático um protetor com base em bastão. Minha cor é a 21km, fechou perfeito no meu tom branquelo/amarelo. Adorei e recomendo.
Corri sozinha porque não encontrei ninguém antes da prova.
Sobre a corrida, em si? Acho que não importa se você está correndo 5, 8, 10 ou 42km. Até a curtição da corrida chegar e seu corpo responder numa boa, você vai se perguntar “-Mas que bosta eu fui inventar? O Q Q EU TÔ FAZENDO AQUI?”. Conversei com várias meninas e todas diziam a mesma coisa, o sentimento é o mesmo, mas depois passa.
E assim foi. Era muita gente, muita saia cor de rosa, uma energia boa, uns homens entrando no meio – o que considerei meio nada a ver. Um dos caras estava correndo por fora marcando o ritmo de uma garota do meu lado, daí DO NADA o sujeito invadiu a pista e foi correr do lado da menina. Juro que pensei assim: É SÉRIO ISSO? enfim, tamos aê, meio da pista, corrida feminina.
Vida que segue, corrida que se corre. Tava cansaaada, mas resolvi que não ia andar, segurei a corridinha até o fim. Juro que já estava morta morta morta na hora de fazer a curva (BEBE VINHO NA SEXTA-FEIRA, NÊGA!!!). Eis que de repente avisto uma placa dizendo: 100 METROS. Dei até um gás pra chegar logo, acabar rápido, ah, que coisa boa, nem foi tão sofrida assim.
Cheguei mais perto da placa e li: 100 METROS PARA HIDRATAÇÃO.
UAHUAHUAHAUHAUHAUHAUHAUAHUAHUAHUAHAUHAUHAUAHUAHUA
Ainda faltava mais de um quilômetro pro fim, gente. Fiquei tão frustrada que não peguei nem o copinho de água, mesmo morrendo de calor e de sede – o calor, pras 8 da manhã, estava foda. No fim das contas, minha música parou e eu tive que correr sem som. Foi ruim mas foi bom, não sei explicar, acho que prefiro musiquinha rolando.
E… cheguei em 32 minutos na minha primeira corrida! E a sensação de terminar algo – seja corrida, musculação, spinning é sempre a mesma: “ainda bem que eu fiz, ainda bem que eu fui”. Outro dia comentei isso com a Bru: vambora, vamos fazer, vamos correr, depois você arrepende de não ter vindo, de não ter feito. A sensação de missão cumprida e bem estar depois de uma corridinha dessas é maravilhosa.
(detalhe da mãozinha fechada com força)
Encontrei com as amigas, tiramos fotos, rimos muito, fofocamos…
(amor das antigas. eu, Lu e Ana)
Um dos lances da corrida é isso: não importa COMO você chega, QUANDO você chega, importa é que você foi, tentou, apareceu, viveu um pouquinho, suou um pouquinho, sofreu um pouquinho, emagreceu um pouquinho e ficou muito, muito feliz.
E que venham outras, que agora eu viciei! <3

Você também irá gostar de ler:

1 comentário

  • Reply
    Bruna Fraga
    28/08/2014 at 1:05 pm

    Amigaaaaa, to super orgulhosa de você e por ter conseguido te ajudar um pouquinho na reta final! Essa semana quebrei o ritmo, mas na próxima estaremos firmes e fortes treinando para o nosso próximo desafio… Mas você me puxa, combinado?? rs…

    http://www.brufraga.com

  • Deixe um comentário