Gastronomia/ Restaurantes

Restaurante Corrutela (onde comer em SP)

É muito chato um cozinheiro que fica criticando a comida do outro.

Eu sou cozinheira porque eu GOSTO de comer.

Escrevo sobre comida porque acho que é o assunto mais legal de todos. Comida é pra unir e agregar, não ficar de palhaçada.

Quando eu sento pra escrever, TEM que ser coisa boa sobre coisas boas.

Deus me livre perder meu tempo (e fazer vocês perderem o de vocês) escrevendo coisa ruim sobre coisa ruim.

Falar mal é feio. É cafona.

Então fica combinado assim: no Cozinho, logo Existo não se fala mal do trabalho de outros cozinheiros (até pq tá todo mundo aí se esforçando pra sobreviver nesse mundão). Esse espaço serve pra gente falar só de maravilhosidades. ♥

Estive em SP recentemente – e seguindo uma dica de amigos queridos, fui visitar o Corrutela, restaurante simpático e novo na vila madalena.

Fiz minha reserva por um link no perfil do instagram e deu super certo, a mensagem de confirmação chegou em segundos. Amo quando a tecnologia funciona! ♥

O serviço é cool, simpático, ninguém fica em cima do cliente.

Aliás, fiquei super à vontade no restaurante. Fui sozinha, sentei na mesa da cozinha pra ver o movimento e a galera da cozinha não me encarou – exceto quando comecei a raspar os pratos com pão, quando recebi uns sorrisos simpáticos.

Falei o que ia pedir e acabamos decidindo um Riesling da Grove Mill, uma vinícola sustentável da Nova Zelândia.

Bingo! Ficou lindo com os pratos. Tão, tão bom.

Pedi 3 entradas, nessa ordem: hummus de beterraba amarela, carne crua e berinjela com iogurte de kefir.

Hommus de beterraba amarela, manga salgada e quinoa. ♥

Carne com emulsão de ovo pochê e trigo crocante.

Berinjela assada, coalhada de kefir, maçã e rabanete.

Esse prato tinha todos os sabores que eu mais gosto – torçam pra ela ainda estar no cardápio. Foi aquele prato que deu dó de acabar. Comeria mais um, se já não tivesse dado conta de 3 entradas.

O restaurante tem uma pegada sustentável forte e trabalha com conceitos com os quais eu me identifico bastante. Tem uma composteira no meio do restaurante ♥, o preço é acessível de verdade, e no moinho do restaurante é moído o trigo que vira esse pão delicioso aqui:

Uma palavra: VÃO.

 

Você também irá gostar de ler:

Esse post ainda não tem nenhum comentários

Deixe um comentário