Publicado em 5 comentários

Como cozinhar arroz integral

Sem graça? Sem gosto? Sem preconceito: aqui o arroz integral é clássico – e fica delícia!
A verdade é que ainda não sei como minha receita básica de arroz ainda não tinha ganhado um post pra chamar de seu!

Apesar de ainda sofrer preconceito na mesa do brasileiro, o arroz integral  vem ganhando espaço – ainda bem! Rico em fibras, é uma fonte de carboidrato que traz mais benefícios – e vitaminas do que o arroz branco, tão tradicional na nossa mesa.

Mas sabem o que eu mais escuto das minhas amigas? “Ai Manuuu, mas arroz integral não pega tempero, é sem graaaça…”.

Segredinho? Eu mesma não era a maior fã de arroz integral – por todos os motivos listados acima!

Pra deixar ele saboroso, tem truque SIM, mas dá muito menos trabalho do que você pensa.

Ah, mas você quer saber vantagens do meu método? Ok:

  1. Não precisa refogar;
  2. Não precisa picar alho;
  3. Não leva óleo;
  4. Fica saboroso;
  5. É fácil pra caramba!

Então sem preguiça: pega a receita e já pra cozinha, fazer o arroz integral da semana.♥ #oremos #vaiquevai


Arroz integral

Arroz Integral Básico:

  • 1 xícara de arroz integral
  • 1 dente de alho inteiro (com casca e tudo)
  • 1 galhinho de alecrim OU 1 folha de louro
  • 2 xícaras de água
  • 1 colher de chá de sal
  1. Antes de tudo: amasse o dente de alho. Não precisa espremer, não precisa descascar: é só dar uma amassadinha de leve pra ele quebrar um pouco.
  2. Em uma panela, coloque a água, arroz, sal, o alho e a erva que você preferir.
  3. Ligue o fogo e aguarde até ferver (fogo alto até aqui, ok?).
  4. Assim que iniciar fervura, mude para fogo baixinho e tampe a panela.
  5. Mantenha a panela tampada até a água secar: assim que secar, verifique se os grãos já estão cozidos.
  6. Se estiverem cozidos, desligue o fogo, mantenha a panela tampada por 5 minutos, descarte alho, erva e sirva.
  7. Caso os grãos ainda estejam duros, adicione água – 1/4 de xícara por vez, até atingir a textura ideal (depois, repita o passo 7).
  8. Se não servir imediatamente, mantenha o arroz sempre em refrigeração.

Fala sério, moleza essa receita! ♥

Publicado em 16 comentários

Como cozinhar Quinoa – dicas e curiosidades.

Pensei bastante antes de escrever esse post, pois em todas as minhas receitas com quinoa acabo incluindo o preparo da quinoa nas instruções, desde o tempero até as proporções.

Como muita gente ainda tem dúvidas sobre o assunto, achei melhor fazer um post exclusivo pra diva da minha cozinha: a lindinha da Quinoa. ♥

Considerada uma superfood por vários especialistas e alguns nutricionistas, a Quinoa é, realmente, uma semente versátil e especial. Sim, você leu direitinho:

Quinoa é uma semente.

 

Assim como outros grãos e sementes, ela contém uma substância chamada saponina no seu exterior. A saponina é um composto defensivo presente em algumas plantas, e sua estrutura é muito parecida com a do sabão. Sabem quando a gente lava lentilha, feijão e quinoa, e às vezes aparece uma espuminha parecida com detergente? É a saponina.

Para eliminar a saponina os grãos e sementes devem ser lavados e esfregados debaixo de água corrente. 

A quinoa não deve ser deixada de molho – pelo menos não por períodos prolongados e definitivamente, não com o objetivo de retirar a saponina – pois o molho faz com que ela se deposite dentro da semente, ou seja, o efeito vai ser o contrário. Quer retirar? Lave em água corrente e pronto.

Originária da América do Sul (oba, é coisa nossa!!!), rapidamente se tornou a queridinha das dietas e de muitos veganos e vegetarianos, por seu alto teor de proteína de qualidade.

É importante falar da qualidade da proteína da quinoa pois ela é um dos poucos alimentos que contém todos os aminoácidos essenciais. Essa informação é especialmente boa para vegetarianos em transição, ou mesmo quem possui dúvidas sobre a qualidade das proteínas em uma dieta vegana ou vegetariana.

Acho super importante a gente buscar informação de qualidade e confiável, e muitas amigas que passaram por mudanças alimentares, tiraram várias dúvidas comigo. Mas no caso da transição, eu sempre recomendo que procurem um profissional especializado: uma mudança tão significativa como essa merece muito carinho e informação mesmo!

Além de ser muito proteica,  a quinoa é rica em ácido oleico (mesmo do abacate, excelente para a pele e melhor amigo na hora de baixar o colesterol ruim, lembram?), vitamina E, quercetina e quenferol (antioxidantes poderosos que auxiliam no combate aos radicais livres).

Se você consumir a quinoa vermelha, ainda garante uma dose de betacianina (que é o mesmo pigmento vermelhinho da beterraba, e também funciona como um antioxidante)! Gosto de fazer um mix com quinoa branca e vermelha – às vezes já encontro essa misturinha pronta no mercado, acho que fica um charme nas saladas.

É uma semente de fácil digestão – dificilmente você vai se sentir pesado depois de comer salada de quinoa -, boa fonte de proteínas, não contém glúten e é rica em óleos maravilhosos para nosso corpo e antioxidantes incríveis. Como não amar? ♥

Eu não refogo ou coloco grandes extravagâncias de tempero durante o cozimento – prefiro temperar minhas sementinhas depois. O máximo é adicionar sal e pimenta do reino a gosto. Depois de pronta, gosto de adicionar várias ervas frescas – que combinam perfeitamente com ela e com os acompanhamentos que você escolher: hortelã, manjericão, coentro, salsa, tomilho.

Para temperar, aposte no combo ervas, limão, azeite e sal.

LOGO COZINHO LOGO EXISTO COMO COZINHAR QUINOA

A primeira dica é: o cozimento da semente depende do ponto que você quer. Para grãos mais firmes, uso uma proporção de 1 para 1,5 (1 parte de quinoa para 1,5 parte de água). Quando quero grãos mais macios, uma proporção de 1 para 2 (por ex.: 1 xícara de quinoa para 2 xícaras de água).

Quinoa

  • 1 xícara de quinoa
  • 2 xícaras de água filtrada
  • uma pitada de sal
  • uma pitada de pimenta do reino
  1. Em uma panela, coloque a quinoa, água, sal e ervas e cozinhe em fogo baixo.
  2. Quando a água estiver terminando de secar, desligue o fogo, tampe e deixe repousar por 10 minutos.

Dicas:

  • Adicione um dente de alho inteiro (com casca) e uma folhinha de louro ao cozimento, ela fica super saborosa! Quando ficar pronta, é só retirar o alho e o louro, esmagar o alho e adicionar como tempero. Ele ficará cozido e super macio.
  • Tempere a quinoa ainda quente, nessa ordem: sal, pimenta, limão e ervas. Misture tudo e por último, regue com azeite.
  • Adicione frutas secas, nuts, sementes de girassol… depois que a quinoa estiver fria, sirva por cima de uma cama de folhas bem temperadinhas. Fica delícia!

Aqui tem uma lista incrível de receitas com quinoa que já preparei no blog, dá uma conferida:

  • Agora não tem mais desculpa, né? Se você também ama quinoa deixa um comentário! ♥

Publicado em 56 comentários

Como fazer: Caldo de Legumes Caseiro.

Depois que a gente percebe a diferença que um bom caldo faz no sabor da comida, não para mais de usar. Eu tenho funcionado no modo automático: se entro na cozinha pra fazer alguma receita que envolve cozimento em líquido (como um risotto, por exemplo), das duas uma:

1) descongelo meu caldo pronto;

2) separo os ingredientes para fazer um caldo.

Caldos podem ser feitos em quantidade e congelados, pra estarem sempre à mão.

Essa é a primeira dica valiosa do post! Como ele demora uma hora pra ficar pronto, vale fazer um caldo para ser usado na hora? Sim, se você tiver tempo sobrando. Caso contrário, dobre ou até triplique essa receita e congele. Com um bom caldo de legumes fazemos risottos, cozinhamos legumes, molhos, sopas saborosas.

Sabe aquele sabor especial no fundinho de sopas e molhos, que a gente nem sempre sabe de onde vem? É essa a função dos Caldos, que também são chamados de Fundos.

IMG_2981

Uma receita básica (e clássica) de Fundo de Legumes leva duas combinações de ingredientes que são conhecidas como Aromáticos: Mirepoix (mi-rrê-poá) e Bouquet Garni (bu-quê gár-ní).

Pra simplificar:

Mirepoix é uma combinação clássica de cenoura, cebola e aipo cortados.

Bouquet garnié uma combinação – também clássica – de louro, tomilho e talos de salsa.

Se você tem dúvidas e quer saber mais sobre como otimizar seu tempo, $$$ e ingredientes, passa na ESCOLA DE COZINHA e fala comigo!

Algumas perguntas que podem surgir no meio do caminho:

    1. Posso colocar outros temperos? Pode. Aqui eu usei pimenta do reino em grão e até um anis estrelado – amo o sabor. Cabe zimbro, cardamomo, de repente cravo e até lasquinha de gengibre. Mas acho importante fazer a versão clássica de primeira, entender o sabor – e depois pirar com as variações. O caldo é seu! ♥
    1. Leva talo de salsa. Posso trocar por coentro? Posso usar as folhas em vez do talo? Primeira coisa: as folhas não são usadas pois são muito delicadas, depois de ferver seu perfume some. Resultado: dinheiro jogado no lixo. Prefira os talos de salsa ou de coentro. Nessa receita usei talo de coentro.
    1. Leva tomilho. Posso usar alecrim? Pode usar as folhas? Sim, pra tudo. Ao contrário de hortelã, salsa e coentro, tomilho e alecrim são ervas mais fortes, que suportam cozimento sem perder o perfume – na verdade, ele apura.
    1. E o sal? Você pode usar ou não. Aprendi a colocar um pouquinho de sal grosso (mais barato e por ser cocção longa vai dissolver) para ele não ficar tão insosso.
    1. Mirepoix? Explica, por favor. Vamos lá: Mirepoix é um aromático – isso a gente já viu, e entendeu que cebola, aipo e cenoura são ingredientes realmente perfumados. Também dá pra usar alho poró, que fica incrível! E Mirepoix também é um tipo de corte, maiorzinho e sem frescura. Corte os ingredientes em pedaços de mais ou menos 1 cm e seja feliz, sem gastar tempo com perfeição.♥
  1. Bouquet Garni? Mas não tem que amarrar? Você pode amarrar ou não. A ideia de amarrar as ervas com um barbante é facilitar na hora de retirar, mas como o caldo vai ser coado, pode jogar tudo na panela sem erro.

IMG_2993

Agora que vocês já entenderam o básico, vamos ao preparo?

IMG_2981

Caldo de Legumes (Fundo de Legumes):

  • 1 cenoura
  • 2 cebolas
  • 3 talos de aipo (salsão)
  • 5 grãos de pimenta preta
  • 1 ramo de alecrim ou tomilho
  • talos de salsa ou coentro
  • 1 folha de louro
  • 1 colher de chá de sal grosso (opcional)
  • 3 litros de água
  1. Preparar um mirepoix: cortar cenoura, cebola e aipo em pedaços de aproximadamente 1 cm.
  2. Colocar os legumes em uma panela grande, adicionar as ervas, especiarias, a água e o sal.
  3. Levar ao fogo. Assim que ferver, abaixar o fogo para o mínimo e cozinhar por uma hora.
  4. Deixar esfriar, coar e guardar.

IMG_3004

Simples, né? A melhor parte é que são ingredientes do nosso dia a dia. Básicos, baratos e fazem muita diferença. Em geladeira esse caldo dura 3 dias. No freezer, até 3 meses. Não tem mais desculpa pra não fazer!

Publicado em 16 comentários

Lentilhas Cozidas (como substituir o feijão)

Se tem uma coisa que me dá medo quando entro em uma cozinha é ela: a panela de pressão.

Já vi uma voar no teto, mas ainda assim, ó: AMO feijão. Se deixar, como todo dia e ainda jogo por cima da salada.

Como lidar?
Para os dias em que o medo vence a coragem, uso lentilhas no lugar do feijão.

Além de ficar pronta super rápido, ela é saborosa, rica em nutrientes e me lembra riqueza e fartura (oi, arroz com lentilhas do Ano Novo!).

Dá pra tomar como sopa de lentilhas ou substituto para o feijão.

Fica incrível salpicada com ervas frescas e um fio de azeite – sim, esse é meu jeito preferido de comer lentilha.

Também dá pra misturar no arroz integral (receita aqui) e servir como “Arroz com Lentilhas” – só no truque.

Se você também se apavora com panela de pressão (ou não tem em casa), se joga na lentilha! ♥

lentilhas cozidas cooked lentils cozinho logo existo 1


Lentilhas Cozidas:

  • 6 xícaras de água
  • 1 xícara de lentilha
  • 1/2 cebola picadinha
  • 2 dentes de alho
  • sal a gosto
  • pimenta do reino a gosto
  • 1 colher de sopa de óleo
  1. Cozinhar a lentilha com 3 xícaras de água e 1 dente de alho esmagado: leve ao fogo até ferver, abaixe o fogo e deixe cozinhando até a água secar (sempre tomando o cuidado de não deixar grudar no fundo). Reservar.
  2. Em uma panela, aquecer o óleo e refogar a cebola picada por 3 minutos, em fogo baixo.
  3. Adicionar o alho, refogar por mais 2 minutos, adicionar a pimenta do reino (eu dou duas voltinhas no moedor) e juntar a lentilha. Misturar, adicionar mais 3 xícaras de água e deixar ferver até reduzir a água e o caldinho ficar mais grosso.
  4. Ajustar o sal e servir como sopa ou substituindo o feijão.
  5. Se achar que está muito grossa, adicione mais água até atingir a textura da sua preferência.

lentilhas cozidas cooked lentils cozinho logo existo 2


Não tem mais desculpa pra não fazer um acompanhamento gostoso pro arroz integral de todo dia, né? Até agora, só vi vantagens:

  1. deliciosa;
  2. versátil (pode ser consumida como sopa);
  3. rica em proteínas;
  4. não te expõe ao PÂNICO da panela de pressão!

Considerando que daqui a pouco acaba o verão e o outono vai começar a dar as caras, tá na hora de treinar a sopinha de lentilhas e começar a fazer bonito nas marmitas e no dia a dia! =)

Publicado em 6 comentários

Azeites Aromatizados

azeite aromatizado
Depois de fazer pela primeira vez, dificilmente você vai comprar um desses no mercado. Além de lindos, azeites aromatizados são facílimos de fazer em casa, e você ainda pode fazer sua própria combinação de temperos.

Fiz a primeira vez e fiquei apaixonada: são maravilhosos para cozinhar, deixam qualquer refogadinho super aromático e também servem pra temperar legumes e saladinhas de folhas frescas.

Já mencionei que são um presente maravilhoso? É só usar uma garrafa lindona e esterilizada, fazer com carinho e embalar. Presentes feitos com amor são sempre os melhores. <3

As minhas garrafas custaram 12 reais e eu comprei na Tok & Stok, nesse link aqui:

http://www.tokstok.com.br/vitrine/produto.jsf?idItem=17582&bc=1

Pra esterilizar, ferva bastante água e cubra as garrafas que você vai usar. Deixe por alguns minutos e depois deixe secar naturalmente.

Coloque os temperos da sua escolha dentro da garrafa e em seguida, cubra com azeite. E só.

Como aqui em casa usamos muito azeite (é uma casa portuguesa, com certeza), fiz logo essas duas versões aí de baixo: uma com alecrim e outra com louro, que eu adoro. Se você não gostar de nenhuma dessas ervas, experimenta fazer com tomilho: é bem mais suave e maravilhoso.

Azeites-Aromatizados

Uma garrafa dessas dura geralmente 1 mês. Esse, aliás, é o tempo máximo recomendado para que se mantenha esse tipo de azeite na despensa. Se notar que ele ficou rançoso, jogue fora.

Um close na versão alecrim, alho e pimenta rosa:

2014-12-19 09.10.53

 

Publicado em 8 comentários

Como fazer: Manteiga de Amêndoas

Preparei essa receita há TANTO tempo que esse potinho aí da foto já está vazio, acreditam?
Gulodices à parte, essa é uma daquelas receitas que espanta marinheiros de primeira viagem e fazedores experientes de manteigas vegetais.
Manteiga de amêndoas é a receita mais difícil, mais chata, mais demorada… MAS NÃO AQUI.
Assim que comecei a fazer minha própria manteiga de amendoim pura, entendi que um dos principais truques era o de aquecer as oleaginosas um pouquinho, para facilitar a liberação dos óleos.
Já explico: enquanto você mói as nozes ou castanhas em temperatura ambiente, o motor do processador aquece, ajuda a triturar e liberar o óleo. Se amêndoa é a oleaginosa mais chata, não faz todo o sentido do mundo já começar com elas ligeiramente aquecidas?
Pois faz, e deu certo, e foi lindo.
Fiz minha manteiga com amêndoas laminadas, sem casca, mas você pode fazer com amêndoas inteiras e conseguir uma receita mais escura. A minha ficou salpicada de pontinhos pretos porque adicionei uma pontinha de fava de baunilha enquanto batia.
Manteiga de Amêndoas:
 
2 e 1/2 xícaras de amêndoas laminadas OU 3 xícaras de amêndoas inteiras
1 processador eficaz
paciência
Aqueça suas amêndoas no forno a 180º. Eu gosto de deixar as amêndoas moreninhas – sem queimar -, pois prefiro o gosto das amêndoas tostadas. Despeje as amêndoas, ainda quentes, no processador e bata até obter uma manteiga bem lisa.
Triture, triture e triture. Assim como na manteiga de amendoim, as amêndoas viram uma farofa e grudam nas paredes do processador: você tem que parar de bater e soltar a massa das paredes, aproveitando pra misturá-la. Esse processo é repetido algumas vezes, até que as amêndoas vão começar a soltar o óleo e sua manteiga vai aparecer. É lindo, e quanto mais você bater, mais lisinha sua manteiga vai ficar.
Homemade Almond Butter:
2 1/2 cups sliced almonds OR 3 cups whole almonds
a nice food processor
patience
Roast your almonds at a 180º oven untl they are light brown and smelling good. Transfer them to the food processor and start processing. Work it , work it, work it. Scrape down the almonds from the food processor, as needed – you will have to repeat the process some times, until almonds start to release its oil and your almond butter will appear! It’s so lovely, and the more you pulse your almonds, the smoother the butter gets.
Publicado em 15 comentários

Como fazer: Leite de Castanha do Pará

Esse é um dos melhores leites vegetais que já fiz. Ganhou, de longe, do meu amado leite de amêndoas: mais barato, mais cremoso e mais gostoso! <3
Tenho comprado as oleaginosas em quantidades maiores (sempre sem sal) e conservado no freezer em sacos transparentes, para não correrem o risco de mofar. Desse jeito, você acaba pagando mais barato e sempre tem ingredientes à mão para receitas ou um lanchinho rápido.

Por falar em lanche, castanha do pará, pistache e castanha de caju são minhas oleaginosas preferidas nessa hora: elas não precisam ser tostadas pra ficarem gostosas – como as amêndoas precisam. Aliás, pistache é tão, mas tão gostoso, que dá pra entender porquê ele vem com aquela casquinha chata. Se fosse fácil, a gente não parava de comer! #quemnunca

 Usei esse leite pra fazer uma variação daquele mingau de quinoa super nutritivo (receita aqui), em breve coloco a receita e uma dica pra poder fazer uma sobremesa delícia com banana também.
Achei a textura do leite incrível, mais cremoso do que o leite de amêndoas.
Leite de Castanha do para 1
Leite de Castanha do Pará:
1 xícara de castanhas
4 xícaras de água filtrada
Deixe as castanhas do pará de molho em 2 xícaras de água filtrada da noite para o dia, ou por umas 2 horas, no mínimo. Descarte a água e bata as castanhas em um liquidificador com 2 xícaras de água filtrada, até que a mistura obtenha uma consistência leitosa – bater por uns 2/3 minutos.
Coe a mistura, de preferencia em um pano bem fininho, para obter o máximo de líquido.
Consuma em no máximo 2 dias.
 
Brazil Nut Milk:
1 cup brazil nuts
4 cups of filtered water
Soak the almonds in 2 cups of filtered water overnight, or at least 2 hours. Rinse and drain the nuts and blend them along with 2 cups of filtered water for about 2/3 minutes. Strain the nuts with a cheese cloth/nut bag, pressing the nuts to obtain all the milk.
Store in the refrigerator for no more than 2 days./
Publicado em 14 comentários

Como fazer: Manteiga de Amendoim Caseira

“Paçoquita é o meu vício, meu desejo na TPM, meu alento totalmente fora de hora. É o meu docinho ~amigo~, pra momentos de tristeza alta e grana curta. É o docinho dos concurseiros.” – disse a Rainha da Paçoquita.
 
No caso, EU. 
Confissão: só fiz essa receita porque ainda não tinha conseguido encontrar Paçoquita Cremosa aqui no Rio de Janeiro! Como vocês já viram (aqui e aqui), meus problemas se resolveram recentemente – matei a vontade de provar a versão cremosa do meu vício.
Mas… posso falar? Uma colherada da versão gordinha  é TÃO doce que chegou a travar minha boca. Sim, é gostosa e cremosa, mas é excessivamente doce. Achei mais doce que a paçoquita normal, e não me vejo fazendo receitas com ela ou usando direto justamente por isso.
Em contrapartida, a versão caseira da manteiga de amendoim é ALGO. Sabor forte, amendoim puro, óleo e gorduras totalmente naturais – liberados pela própria leguminosa durante o processo de moagem (FALEI BONITO, VAI).
 
Pasmem: nessa manteiga aqui não usei NADA além do próprio amendoim. Não usei óleos, açúcares ou adoçantes.
Espero que antes de sucumbirem à tentação de adicionar óleos/açúcares para triturar o amendoim com mais facilidade vocês consigam presenciar a beleza que é ver o amendoim soltar o seu próprio óleo. Parece bobo, mas tenho essa coisa de observar a reação dos ingredientes. Parece tentador fazer as coisas da forma mais fácil, mas dê uma chance pro amendoim, ele tem o tempo dele…
Se você conseguir amendoim sem casca,  comece a dar graças. É que a parte chata dessa receita é soltar as cascas do amendoim.
Enquanto você descasca e separa os grãos, pense na vida, escute Cartola – “Preciso me Encontrar” é maravilhosa pra essa tarefa: você faz com calma e cadência e entende o significado da letra, “rir pra não chorar”. Gosto de pegar vários amendoins ainda quentinhos e esfregar com as palmas das mãos, isso ajuda a soltar as casquinhas.
É terapêutico, é delicioso. Faz, gente…
Manteiga de Amendoim
– 500g de amendoim
– paciência (muita)
Despeje o pacote de amendoim em uma assadeira e leve ao forno a +- 180º até o amendoim ficar torradinho. Deixe os amendoins esfriarem um pouco e comece a descascá-los. É chato mas acredite: vale a pena. Em seguida, despeje os amendoins em um processador. Se o seu for pequeno, como o meu, talvez você tenha que fazer em duas etapas.
Triture, triture e triture. O amendoim vira uma farofinha, começa a grudar nas paredes do processador : você tem que parar de bater e soltar a massinha. Nessa hora, solte a mistura das paredes e aproveite pra misturá-los. Você vai repetir esse processo algumas vezes, até que… do nada, o amendoim vai começar a soltar seu óleo miraculoso e a sua manteiga vai aparecer. É lindo, e quanto mais você bater, mais lisinha a sua manteiga vai ficar.
– – – – – – – – – – – – – – – –
Eu gostei muito dessa manteiga assim, “crua”, sem sal, óleos ou adoçantes – mas já vi muita gente adoçando até com mel. Fica a seu critério!
Já pensou ter uma lindeza dessas pra passar no seu pãozinho de manhã? Com uma banana, antes de correr? Com pão & banana & um Nespresso Vanilio? É pra morrer de amores <3 <3 <3
 
Homemade Peanut Butter
– 500g peanuts*
– patience (loads of it)
*If you can find pre roasted peeled peanuts, you’re SUCH a lucky fellow. If not, go ahead and roast your peanuts in a 180º oven until they’re roasted and smelling GOOD. Allow them to cool and start to peel the peanuts (it’s quite boring, but have faith: it’s worth the sacrifice).
Next step: transfer the roasted peeled peanuts to a food processor and start processing them. Work it, work it, work it. Scrape peanuts down from the food processor, as needed – you will have to repeat the process some times, until… peanuts start to release its marvelous oil and your peanut butter will appear! It’s so lovely, and the more you process it, the smoother your butter gets.
Publicado em 16 comentários

Como fazer: Leite de Amêndoas

Dentro da minha atual realidade, derivados de leite de vaca não têm vez.
A gente se vira como pode, mas ultimamente tenho notado um aumento excessivo e abusivo nos preços de produtos para substituir o consumo de lácteos. Leites de arroz, amêndoas e aveia estão caríssimos – e isso só prejudica quem não pode consumir leite de vaca.
Por isso, resolvi fazer meu próprio leite vegetal – o primeiro foi esse, à base de amêndoas.
Ainda que você não tenha nenhuma restrição alimentar, experimente novos sabores: esse leite é uma delícia!

Já vi muitas receitas circulando pela internet, e cheguei a essa – minha – que para a minha realidade é a ideal, em termos de proporção e rapidez. Nessa versão express, as amêndoas nem precisam ficar de molho.

Quem tiver tempo sobrando e não esquecer de deixar as amêndoas de molho (como eu), pode fazer a segunda versão: acho ela até mais gostosa, e você acaba aproveitando muito mais as amêndoas. =)
A primeira versão – express – não rende tanto, e usamos pouca água para que o leite fique bem concentrado. Na segunda, como as amêndoas já amoleceram, dá pra bater com mais água sem que o resultado fique “aguado”.
O resíduo do leite vegetal pode ser utilizado em outras preparações, como patês salgados ou bolos, muffins e outras delícias docinhas.
leite de amendoas logo

Leite de Amêndoas Express:

(Rendimento: 380 ml)
  • 1/2 xícara de amêndoas (com casca ou sem)
  • 2 xícaras de água filtrada
  • 1 pitada de canela (opcional)
  1.  Aquecer (sem deixar ferver) as amêndoas e a água.
  2. Bater tudo no liquidificador, até que a mistura obtenha uma consistência leitosa – bater por uns 2/3 minutos.
  3. Coar em um pano bem fininho para obter o máximo de líquido.
  4. Manter em geladeira e consumir em até 3 dias.

 

Leite de Amêndoas Sem Pressa:

  • 1/2 xícara de amêndoas (com casca ou sem)
  • 4 xícaras de água filtrada
  • 1 pitada de canela (opcional)
  1. Deixar as amêndoas de molho em 1 xícara de água por pelo menos 8 horas.
  2. Descartar a água e bater as amêndoas com 3 xícaras de água por 2 a 3 minutos, até que as amêndoas se desfaçam.
  3. Coar em um pano bem fininho, para obter o máximo de líquido.
  4. Manter em geladeira e consumir em até 3 dias.

Dicas Extras:
  • Leites vegetais podem ser congelados. Use forminhas de gelo para congelar, assim você tem ingredientes sempre à mão num momento de pressa!
  • Experimente bater com um pouquinho de extrato de baunilha caseiro: é pra morrer de amores!
  • Não jogue fora as amêndoas: dá pra fazer molho pesto com o resíduo que ficar na peneira! Receita aqui: Molho Pesto com resíduo do leite de amêndoas.
  • Outra opção é levar o resíduo ao forno bem baixinho para secar: você vai obter farinha de amêndoas, bem mais em conta do que as vendidas em lojas especializadas!

Almond milk:

(Makes: 380 ml)
1/2 cup almonds
2 cups water
a pinch of cinnamon (optional)
In a pan, bring the almonds and water to a heat – careful not to let it simmer.
Combine everything in a blender until smooth, for about 2/3 minutes.
Strain the almonds with a cheese cloth, pressing the almonds to obtain all the milk.
Store in the refrigerator for no more than 3 days.